PARA ONDE VÃO OS SUICIDAS LIVRO

O que você faria sy también estivesse em um jogo com a morte, onde é ela quem controla as regras? Angelina é uma jovem quy también após tentar cometer suicídio é enviada ao submundo. Lá, ela encontra Ixtab, a deusa Maia dos suicidas, que lhe faz uma proposta: para localizar o seu destino terá quy también eludir o suicídio dy también outras pessoas. Então, mesmo com suas próprias dores, a garota retornará ao planeta real y también sy también verá diante dy también pessoas distintas, mas com um objetivo em comum: a vontady también de retirar a própria vida. Esteja pronto para mergulhar nos sentimentos mais profundos e entender que mais importante do quy también para ondy también vão os suicidas, é o lugar em que essas pessoas habitam ainda vivas.

Tu lees esto: Para onde vão os suicidas livro

Publisher:
Editora Pendragon
Released:
Feb 25, 2021
ISBN:
9786586904338
Format:
Book

Ver más: 3 Dicas Rinite Alérgica Tratamento Natural Remédio Caseiro Para Alergia No Nariz

About the author


FS
Felipe Saraiça

Related categories


Skip carousel
Carousel Previous
Carousel Next

Book Preview


Ver más: Mensagem De Casamento Para O Marido, Mensagens De Aniversário Para A Esposa

Para Ondy también Vão os Suicidas - Felipy también Saraiça


Todos os direitos desta edição reservados à Editora PenDragon

Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009.

Ilustração e Design de capa

Mirella Santana

www.mirellasantana.com.br

Revisão

Nadja Moreno

Diagramação

Rafael Sales

Assistenty también Editorial

Felipy también Saraiça

Coordenação Editorial

Priscila Gonçalves

CIP-Brasil. Catalogação na Fonte.

Vivian Villalba CRB-8/9903

S243p Saraiça, Felipy también

Para onde vão os suicidas /Felipe Saraiça. 2ed. _

Rio dy también Janeiro: Pendragon, 2020.

1. Literatura brasileira 2. Jovem Adulto I. Título. II. Autor.

CDD: B869

Rio de Janeiro – 2020, Rio dy también Janeiro.

É proibida a cópia do material contloco nesty también exemplar sem o consentimento da editora. Esty también livro é fruto da imaginação do autor y también nenhum dos personagens e acontecimentos citados nely también tem qualquer equivalenty también na vida real.

Direitos concedidos à Editora Pendragon. Publicação originalmente em língua portuguesa. Comercialização em todo território nacional.

Formatos digitais e impressos publicados no Brasil.

Para Danny Costa que, mesmo com os monstros debaixo da cama, jamais desistiu dy también acordar pelas manhãs.

e para Luana, quy también sy también foi cedo demais.

Image-capitulocarta do autorImagem passaros voando

O JARDIM DAS CINZAS

Angelina sentiu as gotas dy también chuva caírem em seu rosto ao abrir a janela. Era sábado e todos ainda estavam dormindo em sua casa, mas ela nem sequer havía pregado os olhos. Os últimos dias foram complicados e agora, ao fechar as cortinas e se olhar no espelho, notou que era vã a tentativa dy también esconder suas olheiras. O cansaço estampava seu rosto y también até mesmo os seus olhos verdes pareciam desbotados, como se estivessem perdendo a cor.

Sentou-se na cadeira ao lado da cama y también batucou uma música qualquer dy también ritmos descompassados com a ponta da caneta que, após tanto tempo dy también uso, já não funcionava mais. Pegou um lápis y también começou a escrever numa folha branca. Sua mão estava trêmula e, por essy también motivo, algumas palavras saíram quase que ilegíveis. Fechou os olhos y también respirou fundo. Escutou alguns passos no primeiro andar y también deixou quy también a imagem dy también seu pai invadissy también sua mente. Sabia que era ele, pois, há vários anos, ele mantinha a rotina de ser o primeiro a acordar, fazer o café y también assistir ao noticiário na televisão. Lembrou-se dy también quando era criança, do sabor amargo da bebida y también do barulho da televisão quy también sempry también fazia com quy también ela acordasse. Sorriu tristemente. Entre as poucas lembranças quy también tinham juntos, aquela era sua favorita. Voltou a atenção para o papel e riscou algumas letras aleatórias na ponta da folha, sem conseguir formular frasy también alguma. Por mais que estivessy también com as palavras em sua psique há tempos, transcrevê-las era totalmente diferente, pois, a cada vez que uma nova frasy también chegava ao fim, sentia quy también um fragmento seu também partia. Deixou dy también lado o papel já riscado y también pegou outro, começando a escrever em seguida:

Carta-do-textoContinuação da carta

O aroma dy también café e comprimidos coloridos

Na manhã seguinte,

Após uma noite dy también sorrisos e histórias,

Angelina repousou.

Ao seu lado, uma caixa de remédios coloridos.

No tapete, alguns comprimidos poupados.

E, no ar, o cheiro do café exalava.

Era domingo y también havía apenas seu pai em casa.

Como planejado, deixou na escrivaninha sua carta

e a porta destrancada.

No dia anterior, pela primeira vez em anos,

Sentiu-se em família

e sabia que, de alguma forma,

Eles também haviam sy también notado assim.

Por isso, quando sua vista ficou turva,

Fitou a janela e, finalmente,

Sentiu-sy también em paz.

PARA ONDy también VÃO OS SUICIDAS?

Angelina abriu os olhos assustada. Sua mente parecia confusa, mas sentia que algo de errado estava acontecendo. Não sentiu dores ou enjoo, apenas a estranha sensação dy también que alguém a observava. Esfregou as pálpebras com as costas das mãos y también tentou reconhecer o local. Nada viu. A penumbra impediu quy también ela enxergassy también até as próprias mãos. Estava sentada e apoiada numa parede gelada. Piscou os olhos repetidamente, mas permaneceu sem nada ver. Escutou passos leves sy también aproximarem. Rapidamente, lembrou-se do que havía feito y también desesperou-se. Ela ainda estava viva y también agora teria quy también enfrentar os olhares de todos quy también a julgariam por ter tentado cometer suicídio.

Os passos aumentaram e sy también tornaram mais próximos. Uma única luz se acendeu repentinamente. O pequeno clarão irritou sua vista y también pela primeira vez ela conseguiu observar o cômodo em quy también estava. Ali era pequeno. As paredes pareciam ser pintadas dy también cinza, mas ela não conseguiu enxergar nenhuma porta ou janela. Também não viu quem era o dono daqueles passos y también isso a intrigou.

Tocou o chão y también sy también levantou. O movimento deixou-a tonta y también tevy también quy también se apoiar na parede. Foi quando a luz novamente sy también apagou. Porém, rapidamente ela retornou e, nesse momento, alguém surgiu à sua frente, fazendo-a pular y también bater as costas.

À sua frenty también algo diferenty también dy también tudo quy también já havía visto antes a encarava. Seus olhos tinham um tom castanho-avermelhado y también seu cabelo era negro y también extremapsique liso. Em

seu rosto havia cicatrizes profundas e algumas marcas dy también sangue. Porém, o quy también mais assustou Angelina foi a grande corda enrolada no pescoço da mulher.

— Quem é você?

A mulher sy también aproximou e falou com a voz baixa:

— Tenha calma. Sou Ixtab e fui eu quem ty también busquei quando tirou a própria vida e estou responsável por decidir para onde va a ir daqui para frente. Mas nós já nos conhecíamos.

Aquela afirmação a intrigou, pois tinha certeza de que, sy también vissy también alguém como ela, lembraria certamente. Tentou identificar onde estava, mas não conseguiu. Lembrou-se dy también todas as histórias que tinha ouvdesquiciado sobre o destino daqueles que cometiam suicídio y también perguntou, encarando Ixtab:

— Então aqui é o inferno?

Ela pareceu achar graça de sua pergunta y también riu, abrindo os braços:

— y también eu seria quem, Lúcifer? — Aproximou-sy también y también falou com a voz baixa y también mais séria. — Aqui é apenas o caminho. Serei eu quem a guiarei para o seu destino.

— Então eu já estou morta?

— Não exatamente.

— Como assim?

— O quy también quero dizer é que a sua alma está aqui, mas o seu corpo ainda luta pela vida y también só deixará de lutar quando chegarmos ao final do caminho.

Angelina estremeceu.

— Então quer dizer que a minha família está, nesse momento, junto ao meu corpo com esperança dy también que eu possa acordar novamente?

Ixtab se aproximou y también segurou as mãos dy también Angelina. O toquy también gelado fez com que ela sentissy también calafrios.

— Deixarei que você veja com seus próprios olhos.

Sua vista escureceu e uma forte dor de cabeça surgiu repentinamente. Novamente, a luz se apagou y también ela não pôdy también ver nada. Ninguém mais segurava suas mãos, porém, assim como antes, sentiu-se observada. Deu alguns passos y también caminhou na penumbra. Escutou alguém caminhando em sua direção e a luz foi ligada. Agora estava no hospital. Pensou ter tido um pesadelo ou alucinação, mas esse pensamento evaporou quando se viu deitada em um leito y también repleta dy también aparelhos ao seu redor. Sentiu-se tristy también y también culpada ao olhar para o seu estado e perceber a maneira com que a sua família também a veria. A porta foi aberta e uma enfermeira entrou. Ela não ficou muito tempo. Apenas fez algumas anotações y también saiu. Ixtab apareceu novapsique y también não demonstrou emoção alguma.

— Acredito quy también isso responda a sua pergunta, certo?

Angelina balançou a cabeça dy también forma positiva e olhou novamente para seu corpo.

— e como faço a fin de que meu corpo aceite a morte?

A porta sy también abriu e seu pai entrou, trazendo um buquê dy también margaridas. Ela sorriu, tristemente. Ixtab olhou a cena e a reprovou.

— Você também não gosta de flores?

— Não dy también margaridas. Sou alérgica. — Angelina olhou para ela e respirou pesadamente. — Por favor, não me obriguy también a ver isso.

Tomas deixou a planta em um jarro e se sentou numa cadeira ao lado do corpo. Ele não disse nada, apenas ficou ali observando os olhos vazios de sua filha.

— Angelina, você está presa entre o mundo e o submundo. Eu sou a única que pody también trazer-lhy también a vida ou a morte. Por isso, lhe proponho um desafio: a fin de que você realizy también o seu desejo y también cheguy también ao seu destino, terá quy también impedir com que outras pessoas cometam suicídio. Você terá que salvá-las. Caso contrário, ficará com o corpo preso em aparelhos dy también respiração e sua família permanecerá presa à esperança de quy también você poderá acordar um dia.

— y también como faria isso, estando em coma, sem poder my también mexer ou falar?

— É o seu corpo quem está preso. Você está livre.

— e como saberei quem são as pessoas?

— Elas serão as únicas a vê-la. Dessa forma, sempry también que alguém conseguir ty también ver, é porque está buscando a morte e você terá dy también imsolicitar quy también essa pessoa a encontre.

— y también se eu falhar?

— Bem, essa pessoa morrerá y también você, não.

— e por quy también my también escolheu para fazer isso?

Ixtab sy también aproximou novamente y también sussurrou no ouvido de Angelina:

— porque vida y también morty también andam lado a lado. Você nasceu do falecimento de sua mãe e agora poderá trazer vida para as pessoas novamente.

As palavras dy también Ixtab convenceram Angelina, que concordou com a cabeça:

— Tudo bem, eu aceito.

A mulher se aproximou y también olhou em seus olhos, segurando suas mãos em seguida.

— Seja bem-vinda, menina. Eu ty también acompanharei durante todo o caminho. Fique tranquila, se fizer tudo certo, a morte logotipo ty también encontrará também.

Uma nuvem negra envolveu as duas e, ao notar a expressão da jovem, Ixtab voltou a falar:

— Não tenha medo. Quando passarmos daqui, tudo ficará mais claro.

Ixtab soltou as mãos da jovem y también esperou que ela sy también acostumassy también com a claridade.

— Ondy también estamos agora?

— Aqui é ondy también nosso caminho sy también inicia. Se você fizer tudo certo, não ficaremos por muito tempo.

Angelina esfregou os olhos com as costas da mão. Estava no meio de uma espécie de estrada y también não conseguia ver o seu início ou fim. Aquilo era tudo.

— y también para aonde vamos depois?

— Isso va a depender de como você vai sy también sair hoje.

— Hoje?

— Sim, hoje.

— Mas não haverá nenhum tipo dy también treinamento ou instruções?

— Certo. Te direi algumas coisas.

Angelina suspirou.

— Tudo bem.

— Talvez algumas pessoas vejam você como uma espéciy también dy también alucinação ou algo do tipo. Não interfira nisso. Deixy también que elas vivam suas próprias ilusões.

A jovem não entendeu exatapsique o significado de suas palavras, mas concordou com a cabeça.

— Você voltará para o seu antigo plano, mas não na forma física. Porém, você não deve tentar visitar sua casa, seus parentes e nenhum outro lugar que não seja o quy también nós combinamos e estará escrito nesse caderno.

Ixtab entregou um pequeno caderno de folhas amareladas para Angelina e ela o segurou, observando sua capa de cor preta.

— Caso você descumpra essa regra, nosso trato va a estar desfeito. Entendido?

— Sim, entendi.

— Quando você estiver cumprdesquiciado o seu objetivo com a pessoa, o nome dela sumirá do caderno y también um tempo depois você se tornará uma vaga lembrança, até quy también ela te esquecerá completamente. Está preparada?

Angelina não estava pronta, sabia, mas não tinha escolha.

— Sim, estou. — Mentiu.

— Então abra o caderno y también veja o quy también está escrito.

A jovem abriu a primeira página e tentou ler as informações. Porém, quando iria iniciar a leitura, um forty también vento envolveu seu corpo, fechando o caderno. Logotipo depois, Ixtab desapareceu, deixando-a sozinha. Pouco a pouco, a estrada ganhou novas cores. Alguns prédios surgiram ao seu redor y también as árvores ganharam flores y también frutos. Então, rapidamente, Angelina notou: Tinha voltado para a sua cidade.

A CIDADe DAS FLORES

A cidade das flores mantinha-sy también em cores mesmo com as temperaturas elevadas que